Home Embaixador Embaixada Relações bilaterais China ABC Serviço Consular Contactos  
 
 
 
 
  Home > temas actuais
 
 
  Crescimento do PIB da China irá frear para 7,1% em 2015, segundo o banco central
 
  ( 2014/12/16 )
 
 
Está previsto que o crescimento do produto interno bruto (PIB) da China se desacelere de forma modesta no próximo ano, chegando a 7,1%, porém com o emprego e a inflação permanecendo estáveis, segundo um documento de trabalho do Banco Popular da China (PBC), o banco central do país.

"O crescimento do PIB irá desacelerar levemente para 7,1% em 2015, refletindo parcialmente a desaceleração do investimento no setor imobiliário", apontou o texto recém editado por um grupo de economistas do BPC.

Espera-se que o PIB da China em 2014 aumente em 7,4%, de acordo com o grupo de estudo dirigido por Ma Jun, economista chefe do departamento de pesquisa do BPC.

A inflação se situará em 2,2% no próximo ano, ligeiramente acima da taxa de 2% prevista para este ano, segundo o documento divulgado no site do BPC.

A China experimentará um crescimento mais lento do investimento de ativos fixos, vendas minoritárias mais fortes e um crescimento mais rápido das importações e exportações em 2015, indicou o texto.

Segundo a análise, o crescimento do investimento em ativos fixos enfraquecerá em 12,8% em 2015, abaixo de uma expansão estimada de 15,5% em 2014, graças a desaceleração do investimento no setor imobiliário.

O ritmo no aumento das vendas no varejo crescerá para 12,2% no próximo ano, frente aos 12% de 2014.

Graças a recuperação da economia global, o crescimento das exportações subirá para 6,9% no próximo ano em comparação a previsão de 6,1% para este ano, enquanto as importações podem aumentar em 5,1% frente ao 1,9% em 2014.

Os riscos que contemplam as previsões incluem fatores geopolíticos como a crise ucraniana, além das incertezas associadas aos preços globais de produtos básicos, o ritmo do aumento das taxas dos Estados Unidos e as perspectivas do mercado imobiliário da China, segundo o documento.

O mercado de emprego da China seguirá forte em 2015, já que a proporção do setor terciário na economia nacional continua subindo ao menos um ponto percentual, algo visto nos últimos anos.

A estrutura econômica da China estará mais equilibrada no próximo ano, com uma menor dependência em investimento e um maior impulso do consumo, de acordo com o texto.

É provável que o consumo contribua com 50,9% do crescimento do PIB em 2015, 0,9% superior a este ano. Assim mesmo, o investimento representará 46,8% do crescimento econômico, 0,9% a menos, e as exportações contribuirão com 2,3%.

 
 


Suggest to a Friend
       Print
E-mail to us