Home Embaixador Embaixada Relações bilaterais China ABC Serviço Consular Contactos  
 
 
 
 
  Home > temas actuais
 
 
  As mudanças da economia chinesa
 
  ( 2014/12/29 )
 
 
Em 2014, a economia chinesa entrou na chamada "nova normalidade". Além do surgimento de novos pontos de crescimento, os critérios para medir o nível de desenvolvimento também mudaram. O PIB não é o único indicador, enquanto a qualidade de vida e o bem-estar da população passaram a ser mais importantes.

Li Tiejun, de 33 anos, é dono de uma loja de fotografia de casamento em Beijing. Seu negócio vem melhorando nos últimos anos graças à redução dos impostos.

"Os salários, o aluguel de imóvel e as tarifas de publicidade são todos mais altos que no passado. Porém, graças às políticas de redução de impostos para as microempresas, não precisamos mais pagar tributo se o valor da fatura fica debaixo de 20 mil yuans. Esperamos mais medidas de incentivo para as empresas pequenas."

Atualmente, as micro e pequenas empresas estão desempenhando um papel cada vez mais importante na economia chinesa. Na reunião sobre os trabalhos econômicos do governo central realizada em meados de dezembro, o país trouxe à público claramente que as micro e pequenas empresas estão se destacando nas novas indústrias e no setor de serviços. Produções pequenas, inteligentes e profissionais são os novos caráteres das empresas.

O vice-diretor de consultas e pesquisa do Centro Internacional dos Intercâmbios Econômicos da China, Wang Jun, entende que as alterações se refletem na mudança do modelo de crescimento da economia chinesa.

"No passado, ignorávamos os custos ao meio-ambiente e o impacto à ecologia. Seguimos uma expansão cega, que é difícil de ser mantida. Dependemos também por muito tempo da demanda externa e não prestamos suficiente atenção à demanda interna. O crescimento agora se diferencia do modelo anterior, quer na oferta e demanda, quer nos motores de crescimento."

O mercado chinês testemunha também o surgimento de novos modelos de crescimento. Nos primeiros três trimestres deste ano, o volume de venda a varejo gerou um faturamento de 1,9 trilhões de yuans, alta de cerca de 50%. O bom desempenho dos negócios online deixou muito atrás o fraco comportamento de investimentos e habitações.

A empresa de softwares para chamar táxi, Dididache (Didi táxi), criada há apenas dois anos, conseguiu recentemente um financiamento de 700 milhões de dólares. O vice-gerente, Zhu Pingdou, confia no futuro da companhia.

"Pretendemos criar uma plataforma de viagem. Concentramo-nos atualmente no serviço de táxi, e vamos expandir para carros reservados, logística, vendas por celulares e ônibus inteligentes."

Os critérios para medir o crescimento econômico e o desenvolvimento social mudaram. O PIB, deixou de ser o único parâmetro para classificar os trabalhos governamentais. Chen Fengying, diretor do Instituto de Pesquisa da Economia Mundial da Academia das Relações Internacionais Modernas, defendeu a importância da sustentabilidade e do baixo carbono.

"O PIB continua a ser importante. Mas o termo não é mais o que a gente considerava no passado. Ele não é um número independente do meio-ambiente e dos interesses do povo, mas se relaciona intimamente com emprego, renda, sustentabilidade e baixo carbono."

 
 


Suggest to a Friend
       Print
E-mail to us