Home Embaixador Embaixada Relações bilaterais China ABC Serviço Consular Contactos  
 
 
 
 
  Home > temas actuais
 
 
  PIB da China soma 63 trilhões de yuans e cresce 7,4% em 2014
 
  ( 2015/01/21 )
 
 
A Administração Nacional de Estatísticas da China divulgou hoje (20) o relatório 2014 da economia. No ano passado, o PIB (Produto Interno Bruto) do país chegou a 63,35 trilhões de yuans, equivalente 10,4 trilhões de dólares, um crescimento de 7,4% em comparação com o ano anterior. O diretor da entidade, Ma Jiantang, comentou que o resultado atinge a meta estabelecida pelo governo de cerca de 7,5%, salientando que a economia chinesa mostra uma boa tendência para um crescimento estável.

"O PIB cresceu 7,4%. Os empregos urbanos aumentaram 13,22 milhões e a taxa de desemprego ficou em 5,1%. O índice de preços ao consumidor subiu 2%. Esses números indicam que a economia chinesa está mantendo uma operação razoável."

Segundo os dados, o consumo contribuiu para 51,2% do crescimento do PIB, com aumento de três pontos percentuais em relação ao registro de 2013. A renda anual disponível dos habitantes urbanos e rurais per capita ultrapassou 20 mil yuans, representando um crescimento de 8%. Enquanto que a disparidade de renda entre o povo urbano e rural está cada vez menor. Além disso, o consumo energético por unidade do PIB caiu 4,8%.

O diretor da Administração de Estatísticas, Ma Jiantang, enfatizou que o resultado deve ser analisado sob o contexto da nova normalidade da economia chinesa. Ele tomou como exemplo os dados da produção industrial.

"A produção do setor de alta tecnologia experimentou aumento de 12,8%, quatro pontos percentuais acima do crescimento de toda a produção industrial, que ficou em 8,3%. Nota-se ainda a expansão do setor de Internet e E-commerce. Em 2014, a venda por varejo online subiu 49,7% em relação ao ano anterior e os negócios de entrega expressa aumentaram 51,9%."

No que diz respeito ao investimento em ativo fixo, o montante atingiu 50,2 trilhões de yuans. Seu crescimento ficou em 15,1%. No entanto, o investimento imobiliário teve um aumento de 10,5% em 2014 em termos anuais. Uma contração acentuada de 9,3 pontos percentuais em relação a 2013, o que demonstra uma desaceleração neste domínio. Ma Jiantang viu este resultado em conformidade com os objetivos. Ele enfatizou que o mais importante é a melhoria estrutural no investimento.

"O setor manufatureiro sofre com a produção excessiva. Porém, o investimento nessa área contribuiu para 40% do investimento global do país. Neste caso, é urgente controlar o investimento repetitivo. Quanto ao reajuste no mercado imobiliário, a desaceleração do investimento é indispensável e correspondente às leis objetivas."

Na perspectiva para 2015, Ma Jiantang considerou que a economia chinesa vai manter boa tendência de crescimento, apesar do ambiente rigoroso interno e externo:

"A industrialização, informatização, urbanização e modernização agrícola da China oferecem uma base sólida para promover a economia chinesa."

 
 


Suggest to a Friend
       Print
E-mail to us