Home Embaixador Embaixada Relações bilaterais China ABC Serviço Consular Contactos  
 
 
 
 
  Home > temas actuais
 
 
  China inicia ano novo com déficit da balança comercial
 
  ( 2015/02/09 )
 
 
A China iniciou o ano novo de 2015 com um déficit da balança comercial. Segundo os dados divulgados pela Administração Estatal de Alfândega, o valor de importações e exportações chinesas em janeiro foi de dois trilhões de yuans, uma queda de 10,8% em comparação com o mesmo período do ano passado. Entre elas, as exportações registraram 1,23 trilhões de yuans, uma redução de 3,2%, e as importações, 860 bilhões, uma queda de 19,7%. Ao falar dos motivos da queda do valor comercial, a diretora do Instituto de Pesquisa das Relações Internacionais Modernas da China, Chen Fengying, destacou antes de tudo a estagnação da economia internacional.

"Penso que um dos principais motivos para a queda do balanço comercial chinês é a deterioração da economia internacional. A franca demanda exterior vai influenciar definitivamente o comércio chinês. A segunda razão é a moderação da economia chinesa. Sob a chamada "nova normalidade", o país está reduzindo sua necessidade pelas commodities do mercado internacional. "

Outro fator que influencia o balanço comercial chinês é a chegada das Festas da Primavera, o tradicional ano novo chinês. Segundo a pesquisadora do Ministério do Comércio da China, Zhang Li, as encomendas costumam estar concluídas antes do final do ano.

"As encomendas comerciais do nosso país são, na sua maioria, de curto prazo. Geralmente, as empresas exportadoras concluem o negócio antes da chegada do ano novo. E no ponto de vista da importação, irá ter o seu inicio depois dos festejos."

As reduções comerciais concentram-se principalmente nos produtos mecânicos e eletrônicos, e nos setores de mão-de-obra intensiva. Pelo contrário, a exportação de aço em janeiro chegou ao nível de 10 milhões de toneladas, um crescimento superior a 50%. Chen Fengying vê com bons olhos o fenômeno.

"Estou com muita satisfação ao ver que o investimento está empurrando a exportação. Um dos exemplos é o setor de aço, cuja exportação chegou a crescer em 52%, no primeiro mês do ano. Podemos acreditar que as políticas de "um cinturão e uma roda" vão contribuir para a exportação chinesa. "

Mais antes, o porta-voz da Alfândega chinesa, Zheng Yuesheng, disse que um pacote de incentivos promovido pelo governo chinês para estabilizar o comércio, vai fazer crescer o comércio exterior do país.

"O governo chinês lançou uma série de políticas inventivas ao comércio exterior, cujo efeito vai aparecer gradualmente. Os benefícios trazidos pelas reforças, vão ainda reforçar o crescimento do balanço comercial."

 
 


Suggest to a Friend
       Print
E-mail to us